Terça, 29 de setembro de 2020
(61)98440-4851
Especiais

20/02/2018 ás 16h46 - atualizada em 02/03/2018 ás 03h57

1.104

Nichollas Castro

Brasília / DF

Quem foi o autor do Hino de Luzilândia
Rainha do Piauí, foi assim que Raimundo Nonato Vale, autor da letra do hino de Luzilândia a descreveu em sua composição poética.
Quem foi o autor do Hino de Luzilândia

O Hino de Luzilândia é cantado pela maioria dos luzilandenses, sejam jovens, adultos, crianças, todos o entoam com muito orgulho. Tem em sua estrutura, sete estrofes e sendo que duas delas, formam o refrão inesquecível.


 Com sua letra que aborda não apenas a localização da cidade, mas fala das tradições, das memórias, da fertilidade do solo e do povo trabalhador, o hino emociona.


O que mais impressiona é que mesmo a obra poética sendo tão popular, o autor da letra do hino, ainda é desconhecido por grande parte da população local, e até muitos daqueles que já cantaram por diversas vezes a tão famosa letra, pouco ou nada sabem sobre quem a compôs.


"Trata-se de uma obra que, basicamente é um canto de amor à terra". "Quanta expressão de ternura e de amor cívico à terra-berço".  Assim disse Raimundo Marques no prefácio da obra: Temas e Esboços de Nonato Vale, obra póstuma que expõe a trajetória do autor e suas paixões. Destacam-se o amor pelo esporte, em especial o Futebol, e a poesia.


No hino de Luzilândia nota-se que o amor pela terra e também pelas pessoas, são enaltecidos pelo autor, e mesmo tendo ido morar ainda jovem na cidade de Chapadinha, a saudade e as boas lembrança de Luzilândia o fizeram compor o hino do município com perfeição.


SOBRE O AUTOR


Raimundo Nonato Vale, nasceu no dia 22 de julho de 1924 na localidade Ininga, município de Luzilândia. Filho de José Gonçalves do Vale e Florinda Jesuína do Vale. 


Viveu em Luzilândia sua infância e parte da adolescente, até que em 1943 mudou-se para Chapadinha-MA, onde viveu o resto de sua vida, por mais meio século. Casou-se com Elin Barroso Viera Passos em 1949, com a qual teve 06 filhos. Faleceu em 29 de agosto de 1992, deixando doze netos e uma bisneta.


Mundica Pimentel disse sobre Nonato Vale como era conhecido: o exemplo de sua vida que foi uma obra de arte, "um belo poema de amor".



 


 Hino de Luzilândia      


Letra: Raimundo Nonato Vale

Esta terra, sem par que nos fascina,       
Do Parnaíba à beira alcandorada,
Com porte airoso de gentil menina     
É nossa Luzilândia idolatrada.


 Luzilândia berço amado,
Como é grande o teu porvir
Teu destino está traçado
Rainha do Piauí


 Tua vida é nossa vida
Unida na mesma lida
Sob o te céu de esplendor
Que tanta luz irradia
Terra de Santa Luzia
Oásis do nosso amor


 Tua história tem raízes no passado
Originando nossas tradições
De povo forte, destemido, ousado
Simbolizando as nossas gerações


 A memória dos teus vultos do passado
Reflui galvanizada em nossa mente,
Eternos detentores de um legado
Que a história esqueceu completamente


 Teu solo generoso e mais fecundo
Onde plantando tudo tem que dar
O labor do teu povo, tão profundo
Nos leva com fervor a te exaltar


 Por tua braveza conduzida,
Sempre ao sabor de grandes lideranças
Há de alcançar a glória merecida
Sonho maior das nossas esperanças




 


Fonte: Livro Temas e Esboços, Nonato Vale
Redação e Edição: Valéria Paiva

FONTE: Valéria Paiva

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

1 comentários

Luzia Sales

  ·  Teresina O hino de Luzilândia deveria ser cantado nas escolas, porque pouca gente da cidade de Luzilândia conhece e canta o hino, a própria banda municipal não sabe tocar o hino. Se perguntarem algum vereador se sabe do hino de Luzilandia vão responder que não. Em 02/03/2018 ás 03h43
Veja também
Mais lidas
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium