Terça, 10 de dezembro de 2019
(61)98440-4851
Luzilândia

28/11/2018 ás 13h46 - atualizada em 28/11/2018 ás 13h59

127

Sousa El Shalom

Luzilândia / PI

A Provocação das aparências
Pacto de aparência! Meros interesses.
A Provocação das aparências

Em tese e nos capitéis do melhor entendimento, política seria uma coisa única, uma ciência elevada de trato fino e social que tem como principal objetivo, administrar o que é de natureza pública com responsabilidade e desprendimento, não apenas uma proposta ou cartada de  mão dupla para como chegar "lá". Porém, este modo de como chegar "lá", que seria alcançar o poder, teria em Luzilândia, tomado o espaço desta dedução sóbria da arte política de primor.


Nos últimos dias, as redes sociais teem sido palco do que possivelmente seria um vislumbre do cenário político próximo para a disputa eletiva, ou disputas, pois aí estaria em jogo a eleição da presidência do legislativo municipal e até mesmo todo o conjunto em 2020.


O que é de se admirar, são as associações para tanto ora em conjuntura.


Os abraços apertos de mãos estendidos hoje "em acordo", são protagonizados por aqueles que até pouco tempo afirmavam ética diferenciada e própria, pois na política luzilandense até isto existe.


Eles ou elas que denunciavam eles ou elas, eles ou elas que odiavam eles ou elas,pelo jeito de fazer "política", ou de simular política, o que na verdade seria uma aberrante admissão da contrariedade da verdadeira lógica da boa ciência.


O que se vê em tudo, é um quebra cabeças, que depois de juntadas todas as peças, formam o mesmo desenho, o velho olhar para o próprio umbigo. Não há nada de novo e nem de povo, são interesses próprios que sobrepõe os interesses coletivos e socias, além da expressão máxima e evidente da hipocrisia  de quem atropela suas próprias convicções e ideologias.


Não é nada novo mesmo, trata-se apenas de uma repetição, esquisita, ridícula e confusa, sim, apenas uma repetição, que tenta iludir e dizer ao povo o que seria o melhor.


Tudo  não passa da tentativa  de induzir pensamentos e tentar fazer com que o povo compreenda uma mensagem, esta, que provocaria para 2020 por exemplo o que viria a ser o melhor, quando na verdade o povo de já  com sua força soberana deveria este sim dizer o que é o melhor, claro, porque este já sabe o que sim e o que não, não carece, nenhum forsamento de barra, o povo conhece os lados, e principalmente o seu lado com sua realidade nunca correspondida. É demais vulgar, um ajuntamento por provocação e tentativa absurda de descer abaixo uma imagem com a tola premissa de que vai colar.


O povo luzilandense tirado do centro do poder e em suas periferias com suas dores, deve ensinar quem manda e decide de verdade, e que não mais se infuencia por imagens até bonitas , mas absurdamente pretensas e equivocadas, acreditando serem a bola da vez.


Por Sousa El Shalom

FONTE: Por Sousa El Shalom

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
INTUINDO

INTUINDO

Blog/coluna "Sobre uma política de jeitos e trejeitos, INTUIR se faz necessário, caminhar a luz do raciocínio, e concluir em cima da decorrência de fatos. A intuição não deve ser apenas um prognóstico, mas também um farol a clarear os horizontes de um mundo nem sempre acessível como o da política. Desta, se verifica as vezes um curso dinâmico e próprio da ideia para qual se fundamenta, mas desta, também se constata muitas vezes o desproveitoso e o péssimo, por isso não há dúvidas, INTUIR é preciso.“
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium